Associação Tapera das Artes lança projeto DJOPOI e abre inscrições para capacitação profissionalizante de 80 jovens músicos para cursos de luteria, arqueteria e práticas coletivas de orquestras de cordas na segunda (8) 

Author

Categories

Share

O projeto é uma oferenda científica musical brasileira com foco na formação profissionalizante e no engajamento de adolescentes e jovens no universo da luteria e arqueteria tradicional de instrumentos e arcos de violino – viola – violoncelo e contrabaixo; luteria experimental e práticas coletivas de orquestra de cordas.

Um novo conceito na Educação Coletiva de Música surge por meio das vivências formativas nos ateliês de luteria e práticas coletivas de orquestra de cordas com o lançamento do Projeto DJOPOI, mais uma iniciativa da Tapera das Artes, que pretende impactar diretamente os participantes trabalhando o processo transformador que a arte provoca nas pessoas. Expressão em língua tupi que significa “oferenda”, o DJOPOI oferecerá formação profissional gratuita em luteria (construção de instrumentos) e em práticas de instrumentos de cordas com a formação de uma orquestra, contando para isso com a participação de uma equipe de professores instrumentistas de referência internacional.

A primeira etapa do projeto DJOPOI começa nesta segunda-feira, dia 8 de junho, com a abertura das inscrições para os interessados em participar da formação. As inscrições seguem até o dia 25 de junho e o regulamento e ficha de inscrição estão disponíveis no endereço: www.taperadasartes.org.br/djopoi.

O resultado do processo seletivo dos alunos será anunciado no dia 1 de julho, com matrículas sendo feitas até o dia 10 de julho. As aulas têm previsão de início em agosto, com data ainda a confirmar.

Na área de luteria, estão abertas: 14 (catorze) vagas para aprendizes em desempenho da luteria tradicional no aprendizado de construção de violino-viola-violoncelo-contrabaixo; 7 (sete) vagas para aprendizes em desempenho da arqueteria tradicional no aprendizado de construção de arcos de violino-viola-violoncelo-contrabaixo; 10 (dez) vagas para aprendizes em desempenho da luteria experimental no aprendizado de construção de instrumentos a partir de material orgânico, plástico, latas, madeira, e objetos recicláveis.

Já para as práticas coletivas com orquestra de cordas serão abertas 21 vagas para aprendizes selecionados do Estado do Ceará para residência artística a ser realizada no município de Aquiraz, onde fica a sede da Tapera das Artes, e 28 vagas para aprendizes do Estado de São Paulo para residência artística a ser realizada no município de Vinhedo, interior de São Paulo.

O Ministério da Cidadania e a Fresenius Kabi apresentam o projeto DJOPOI, que tem realização da Tapera das Artes, parceria institucional da Enartes – Música Meta Educação & Marketing Cultural, patrocínio da Fresenius Kabi, Dakota, Usibras, FAN e Acal. O projeto é viabilizado pela Secretaria Especial da Cultura através da Lei de Incentivo à Cultura (Lei 8.313), por meio do Programa Nacional de Apoio à Cultura (Pronac).

Quem promove, os professores e como será o DJOPOI

A junção dos ateliês de luteria e práticas coletivas se dará por meio de uma pesquisa norteadora proporcionando ações pedagógicas, para uma reflexão sobre cultura geral e acesso de novas técnicas de linguagem das especificidades de cada ateliê.

Comandando isso tudo está a Tapera das Artes, entidade com 37 anos de existência, dos quais 24 deles contribuindo para a educação integral de crianças, adolescentes e jovens na formação cultural que impacta Aquiraz, onde está localizado, e diversas outras cidades cearenses, garantindo o intercâmbio desses alunos com outras escolas, universidades e institutos, bem como com artistas, educadores e mestres de reconhecimento nacional e internacional, abrindo diálogos culturais, a fim de vivenciar e experienciar trocas artístico-pedagógicas e musicais.

Há cerca de seis anos, a Tapera das Artes implantou um Programa de Cultura sob o tema norteador “O regionalismo cultural na cultura cearense”, com objetivo de organizar o processo formativo cultural do público infanto-juvenil, despertando o afeto e atenção para o encantamento dos sentidos por meio da música.

Deste embrião foi gerado o projeto DJOPOI, que contará com a orientação  dos mestres da luteria e artistas que já desenvolvem ações para a Tapera, participantes dos grupos de câmara Cordas Ensemble-Tapera das Artes (Nadilson Gama, Rondinelly Bezerra) e do Quinteto Cordas-Arte do Som (Martin Tuksa, Alessandro Borgomanero, Emerson De Biaggi, Raïff Dantas Barreto, Miguel Dombrowski), assim como a interação com os compositores, para o entendimento do processo criativo de cada compositor.

Os estudos no projeto DJOPOItêm um tema de pesquisa norteadora sob a orientação de três professores. Um coordenador geral da orientação de pesquisa, Prof. Dr. Emerson De Biaggi, uma orientadora de pesquisa em Aquiraz-CE, a Profa. Dra. Liu Man Ying; e um orientador de pesquisa em Vinhedo (SP), o Prof. Dr. Rodrigo Passos Felicíssimo.

Os mestres da luteria, práticas coletivas e de pesquisa doDJOPOI são artistas-músicos, que desenvolveram ao longo de seus estudos uma linguagem que os representam na cena artística brasileira. Saulo Dantas-Barreto, para orientar a luteria tradicional: violino – viola – violoncelo – contrabaixo; Fernando Sardo, para orientar a luteria experimental; e Carlos José Brasil, para orientar a arqueteria tradicional na construção de arcos de violino – viola – violoncelo – contrabaixo;

O maestro Ênio Antunes, coordenador cultural do projeto, deverá orientar o processo dos estudos com orquestra de cordas agregando uma equipe de músicos que vão corroborar em todo o processo preparatório das obras musicais; Cordas Ensemble-Tapera das Artes & QuintetoCordas-Arte do Som, para orientar os estudos de instrumento dos aprendizes, para o foco de desempenho, música de câmara e ensaio de naipes e prática de conjunto.

“DJOPOI tem o seu significado muito específico por ser uma expressão em Tupy. Para nós, oferenda. É uma satisfação poder compartilhar com mestres várias linguagens da cultura brasileira para revelar a arte por meio da música sendo ela a orquestra de cordas e o instrumento concertante de cordas. Tendo para essa revelação mestres que irão orientar o desenvolvimento e o despertar de um jovem na construção de instrumentos musicais inventados com matérias primas e recicladas e os arcos da família do violino-viola-violoncelo-contrabaixo. Todos nós estaremos engajados na Tapera das Artes e na Enartes para desenvolver um ambiente fértil e rico da cultura brasileira em nome da oferenda das nossas vertentes culturais”, salienta Ênio Antunes, coordenador cultural do projeto.

Para Ritelza Cabral, coordenadora geral do projeto DJOPOI, é mais um desafio que se inicia neste momento, abrindo caminhos para capacitação profissionalizante de 80 jovens artistas, no momento em que o país sofre com falta de emprego decorrente do desequilíbrio econômico. “Caminhos de Luz no horizonte fértil para os que entendem que a arte dignifica, ressignifica, e eleva a humanidade”, diz a coordenadora, reforçando a importante história da associação Tapera das Artes que é referência no Estado do Ceará, promovendo educação inclusiva através da arte e tendo a música como fio condutor para levar alegria a um público de 500 crianças e adolescentes, com direção artística e pedagógica do Maestro Ênio Antunes.

As oito obras musicais

Nesta primeira etapa do projeto DJOPOI, que vai de julho a dezembro de 2020, quatro compositores foram convidados a colaborar com seus talentos e suas obras. Cada um deles escreverá duas obras, uma música para orquestra de cordas e outra para solista e orquestra de cordas.

Todas as obras serão estudadas até dezembro de 2020. Nesse período, será promovida uma série de encontros dos alunos com os autores on-line, master classes com os professores e artistas convidados, workshops e diálogo cultural, ensaios abertos e estudos de análise técnica e musical das obras, para o processo de assimilação artística com foco na maturação e desempenho do grupo. O desdobramento do processo será apresentar o objeto cultural: música, instrumentos e arcos construídos no DJOPOI.

Compositores convidados:

Edmundo Villani-Côrtes – Mineiro de Juiz de Fora dedicou uma música para orquestra de cordas que leva o título do Projeto – Djopoi. Outra música, o Concerto nr. 2 para violoncelo e orquestra de cordas, dedicado ao violoncelista Raïff Dantas Barreto;

Dimitri Cervo – Gaúcho de Porto Alegre dedicou As Quatro Estações Brasileiras para violino e orquestra de cordas, cujo solo será interpretado pelo austríaco radicado no Brasil, Martin Tuksa. Uma outra música para orquestra de cordas está sendo composta.

Fernando Morais – Paulistano radicado na Capital Federal, compôs Oferenda Musical Brasileira para orquestra de cordas e Música Armorial, para viola e orquestra de cordas.

As duas dedicadas à Ênio Antunes e o Projeto DJOPOI.

Beetholven Cunha – Pernambucano de Goiana radicado no Piauí, está compondo duas obras, uma para orquestra de cordas e outra para contrabaixo e orquestra de cordas.

Maestro Ênio Antunes
Coordenador Cultural

Ritelza Cabral
Coordenadora Geral

Realização
Tapera das Artes

Parceria Institucional
ENARTES-Música Meta Educação & Marketing Cultural

Inscrições para a primeira etapa do projeto DJOPOI
Inscrição – 08 a 25 de junho – através do site https://www.taperadasartes.org.br/djopoi

Quantidade de vagas:
Oficina de luteria tradicional: 21 vagas
Oficina de luteria experimental: 10 vagas
Práticas de Orquestra de Cordas em Aquiraz (CE): 21 vagas
Práticas de Orquestra de Cordas em Vinhedo (SP): 28 vagas
Total: 80 vagas

Tapera das Artes
http://www.taperadasartes.org.br/
Facebook: Tapera das Artes
Instagram: @taperadasartes_

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share