Bebê prematuro recebe alta após mais de 100 dias internado

Author

Categories

Share

 

                                              Bebê prematuro recebe alta após mais de 100 dias internado

Durante 107 dias, Luís Miguel Epaminondas lutou pela vida na Neonatologia do Hospital Regional Norte (HRN), do Governo do Ceará, administrado pelo Instituto de Saúde e Gestão Hospitalar (ISGH). Nascido no dia 9 de julho prematuro de 30 semanas com apenas 1kg40g, a criança teve uma má formação e precisou se submeter a procedimentos cirúrgicos ainda recém-nascido.

FOTO: DIVULGAÇÃO

No dia da alta, na sexta-feira, 23, a mãe da criança, Maria Rosilália Epaminondas Chaves, agradeceu pelo atendimento recebido. “Quero que Deus abençoe cada um de vocês para que continuem fazendo a diferença na vida dessas famílias porque não é só uma criança, é uma família que está renascendo hoje”

As complicações de Luís Miguel começaram ainda na gestação de Rosilália. Ela teve gravidez de risco com bolsa rota e passou a ser acompanhada pelo pré-natal na obstetrícia do HRN. “Precisei ser internada várias vezes durante a minha gestação”, conta.

A médica neonatologista Renata Freitas explica que o bebê teve muitas complicações graves. “A mãe teve amniorrexe prematura, que é quando a bolsa rompe antes do início do trabalho de parto. O bebê precisou ser internado na UTI Neonatal e teve repetidas complicações”, avalia.

Com poucos dias de nascido, mais um susto: Luís Miguel precisou fazer uma laparotomia e a equipe diagnosticou uma apendicite e uma hérnia. “A criança teve uma má formação, e em virtude disso, uma apendicite e uma hérnia no canal inguinal. Foram intercorrências graves diagnosticadas e tratadas a tempo”, avalia a médica.

Luís Miguel teve ainda confirmado o diagnóstico de alergia à proteína do leite de vaca. A criança foi incluída no Programa de Alergia ao Leite de Vaca (ALV) do Governo do Estado que distribui fórmulas nutricionais especiais. O bebê também foi imunizado com o palivizumabe, medicamento que combate infecções respiratórias em prematuros.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share