Brasil estima ter mais de 73 mil novos casos de câncer de mama registrados em 2023

Author

Categories

Share

 Brasil estima ter mais de 73 mil novos casos de câncer de mama registrados em 2023

                                                    FOTO: DIVULGAÇÃO

A data foi criada para sensibilizar as mulheres sobre a importância da mamografia para a detecção precoce do câncer de mama. O Inca estima o registro de 73.610 novos casos no Brasil

No Brasil, o câncer de mama é a neoplasia mais frequente entre as mulheres, além de ser a principal causa de morte por câncer. Segundo pesquisa do Instituto Nacional de Câncer (INCA), para o ano de 2023 foram estimados 73.610 novos casos no Brasil, o que representa uma taxa ajustada de incidência de 41,89 casos a cada 100 mil mulheres.

A incidência é rara em mulheres jovens, sendo mais comum a partir dos 50 anos. A taxa de mortalidade por câncer de mama no Mundo, por exemplo, foi de 11,84 óbitos a cada 100.000 mulheres, em 2020, de acordo com o Instituto. Diante deste cenário, medidas de prevenção, rastreamento e detecção precoce do câncer de mama são de extrema importância, pois o diagnóstico precoce facilita o tratamento e as chances de cura amplificam.

O câncer de mama

A principal causa da doença é idiopática, mas existem fatores que contribuem para o seu desenvolvimento, como o estilo de vida e as características individuais da pessoa. Entretanto, uma parcela dos casos pode ter origem genética familiar.

Evidências científicas demonstram que o rastreamento através da realização periódica da mamografia reduz a mortalidade da doença. “Infelizmente, o autoexame das mamas não apresentou impacto na mortalidade feminina pela doença e acabou não sendo mais recomendado. Apesar disso, a mulher deve ser encorajada a conhecer o próprio corpo e procurar atendimento caso note qualquer sintoma ou modificação nas mamas”, afirma Carla Maria Franco Dias, ginecologista, obstetra e docente do Instituto de Educação Médica (IDOMED).

Sintomas

De acordo com a médica, os principais sinais e sintomas suspeitos de câncer de mama são: caroço (nódulo), geralmente endurecido, fixo e indolor; pele da mama avermelhada ou parecida com casca de laranja; alterações no bico do peito (mamilo) e saída espontânea de líquido de um dos mamilos. Também podem aparecer pequenos nódulos no pescoço ou na região embaixo dos braços (axilas).

A mamografia

A mamografia é um exame radiológico das mamas, capaz de detectar nódulos, cistos, microcalcificações e assimetrias mamárias, mesmo em mulheres assintomáticas. A recomendação do Ministério da Saúde assim como a da Organização Mundial da Saúde, é a realização da mamografia de rastreamento (quando não há sinais nem sintomas) em mulheres com idade entre 50 e 69 anos, anualmente ou a cada dois anos, como forma de identificar o câncer antes do surgimento de sintomas. Mulheres identificadas como de alto risco para o câncer de mama podem iniciar o rastreamento mais precocemente, dependendo do fator de risco associado.

A médica explica que pacientes de qualquer faixa etária, sintomáticas ou com suspeita de alterações mamárias ao exame físico, podem realizar o exame na rede pública. Segundo o INCA, um exame de mamografia de alta qualidade tem precisão diagnóstica em cerca de 90% dos casos, possibilitando a detecção de um tumor de pequeno tamanho e/ou baixa densidade até dois anos antes de atingir a área de linfonodos.

A detecção precoce e o tratamento adequado do câncer de mama possibilitam alta chance de cura e sobrevida em relação à doença. “Quando há alterações na mamografia, podem ser necessários exames complementares como a ultrassonografia e a ressonância magnética das mamas. Na suspeita de câncer, é importante o atendimento especializado pelo mastologista, a fim de realizar biópsia da lesão mamária para confirmação da doença, geralmente através da punção por agulha grossa (core biopsy ou mamotomia) ou por remoção cirúrgica incisional ou excisional”, explica a Dra. Carla Dias.

Importância do autocuidado

Com a grande incidência de câncer de mama no Brasil e do impacto que o diagnóstico e o tratamento acarretam na vida da mulher, é fundamental o suporte psicológico à paciente e aos familiares. No entanto, a psicóloga e docente do curso de Psicologia da Wyden, Dra. Vivian de Jesus Correia e Silva, faz um alerta para hábitos simples de autocuidado que muitas vezes são esquecidos, mas são importantes para a prevenção do câncer de mama e para um diagnóstico precoce, o que reduz os riscos da doença e aumenta as chances de cura.

“Culturalmente a mulher é colocada num lugar de cuidadora, daquela que deve olhar e zelar pelos outros, mantendo-os confortáveis e satisfeitos. São muito estimuladas a agradar fazendo atividades de cuidados, mas sempre voltadas aos outros. Até o autocuidado, como mudar o cabelo, fazer as unhas e se maquiar pode ser entendido como um dever de ficar bonita para ser aceita em sociedade. Mais uma vez o foco é o que os outros esperam delas, ou seja, o desejo do outro passa a ser prioridade, não o delas. Por isso, ainda tem muita mulher com dificuldade de se tocar, de olhar o próprio corpo, de se apreciar, de perceber as mudanças e procurar ajuda quando necessário”, explica.

Author

Share