Brasileira que foi chef particular da pop star Madonna estreia shows gastronômicos no Pavilhão Brasil na abertura da Sial Paris 

Author

Categories

Share

Brasileira que foi chef particular da pop star Madonna estreia shows gastronômicos no Pavilhão Brasil na abertura da Sial Paris 

Foto: Divulgação

A convite da ApexBrasil, a renomada Rebecca Lockwood encanta paladar de visitantes da maior feira de alimentos e bebidas da Europa com produtos tipicamente brasileiros 

 

O uso dos ingredientes brasileiros é múltiplo quando cai nas mãos de criativos mestres-cucas. Ninguém melhor do que eles para divulgar os sabores brasileiros e propagandear as maravilhas que se pode fazer com produtos exclusivos do Brasil, ganhando os estrangeiros “pelo estômago”. Foi o que mostrou a renomada chef Rebecca Lockwood, que, a convite da Agência Brasileira de Exportações e Investimentos (ApexBrasil), pilotou a cozinha do Pavilhão Brasil em um show gastronômico neste sábado (15), primeiro dia da Sial Paris, a maior feira de alimentos e bebidas da Europa, que ocorre bianualmente, e este ano vai até dia 19.

A chef, que encantou o paladar da cantora Madona quando pilotava a cozinha de um restaurante em Portugal e foi cooptada a trabalhar como chef particular da pop star de 2017 a 2018, fez do maracujá e da goiabada as estrelas dos pratos servidos para degustação no Pavilhão Brasil. Transformou o doce da goiaba em vinagrete para temperar uma salada de legumes com frango defumado. E ensinou que, com a goiabada, se pode fazer muito mais do que se pensa: como ketchup. Também fez vinagrete de maracujá e baru para temperar o recheio de cenoura de uma tapioca que serviu no local, capturando a atenção de todos os transeuntes.

“Os produtos típicos da Amazônia caíram no gosto dos estrangeiros mundo afora, agradando inclusive paladares mais exigentes como o dos franceses”, disse a chef, filha de inglês com brasileira e residente na França há seis anos. Atualmente, ela é a chef do estrelado restaurante parisiense l’Agapé! — revolucionando a cozinha ao servir pratos tipicamente brasileiros misturados a itens sofisticados da culinária internacional, a ponto de fazer o local entrar para o Guia Michelin com uma estrela. O guia é considerado a bíblia da gastronomia, e avalia mais de 30 mil estabelecimentos mundo afora.

Exemplos dos pratos originais preparados por Rebecca, a maioria com ingredientes de raiz indígena, são o pão de queijo com caviar; os chips de tapioca com guacamole; tartár de vitela; vieiras com pêra e chuchu ao azeite de coentro e molho de castanha do Pará; bacalhau ao molho de maracujá; bolo de gema de ovo e coco com creme de casca de manga e hortelã; crumble de castanha do Pará, parmesão e alecrim e sorvete de funcho.

Formada pela le Cordon Bleu, em Paris, a chef brasileira trabalhou em diversos restaurantes entre Europa e Ásia. No Brasil, teve seu próprio restaurante no Rio de Janeiro.

Vitrine

Simbólica é a presença de Rebecca na Sial Paris 2022. Com seu talento e desenvoltura, alavanca a imagem do produto nacional e a reputação do País como um mercado certeiro para investidores, importadores e compradores internacionais. A feira é considerada uma vitrine global e uma oportunidade de análise de tendências e de inovação. É um importante meio de entrada para produtos brasileiros na França e tem localização estratégica no continente, o que facilita o acesso às maiores economias emergentes do mundo. Este ano, 125 empresas brasileiras de diversos setores e tamanhos estão expondo seus mais variados produtos para potenciais compradores, investidores e parceiros internacionais, nos estandes organizados pela ApexBrasil, pela Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec) e da Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA). Há ainda empresas com estandes próprios, avulsos, como a JBS.

Histórico

Os números de 2018 demonstram a grandiosidade da feira: foram 310 mil visitas, 280 mil metros quadrados de espaço e 7,2 mil expositores de 119 países – 87% de fora da França. Naquela ocasião, evento rendeu ao Brasil cerca de US$ 2,3 bilhões em fechamento de negócios.

O Brasil é o terceiro maior exportador de alimentos do mundo, atrás apena dos Estados Unidos e do continente europeu. O agronegócio e a indústria de alimentos e bebidas foram fundamentais para garantir a balança comercial superavitária no Brasil em 2021, fechando aquele ano com mais de US$ 105 bilhões de saldo positivo, 19,8% a mais do que o registrado no período anterior. Em 2022, o segmento deu continuidade ao protagonismo, sendo parte responsável por resultados recordes nas exportações, com expectativa de crescimento nos próximos anos.

Author

Share