Deputado Eduardo Bismarck consegue incluir trabalhadores do turismo no Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE)

Author

Categories

Share

 

Deputado Eduardo Bismarck consegue incluir trabalhadores do turismo no Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE)

Fotos: Divulgação

O deputado federal Eduardo Bismarck (PDT-CE) conseguiu incluir duas emendas para contemplar os prestadores de serviços turísticos no projeto de lei 5638/20 que cria o Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE). A medida foi aprovada nesta quarta-feira (3) pela Câmara e tem o objetivo de criar condições para que o setor de eventos e, agora, também de turismo, possam mitigar perdas oriundas do estado de calamidade pública. O texto segue agora para o Senado Federal. 

Com a emenda proposta por Eduardo Bismarck, passam a ser contemplados no PERSE os trabalhadores que operam em meios de hospedagem, agências de turismo, transportadoras turísticas, organizadoras de eventos, parques temáticos e acampamentos turísticos. Inicialmente, estavam incluídas apenas as empresas responsáveis  por realização de congressos, eventos esportivos ou culturais, feiras de negócios, shows, festas, simpósios ou espetáculos em geral; de hotelaria em geral; e administração de salas de exibição cinematográficas. 

Entre as principais ações de benefício, estão o parcelamento de débitos, redução de tributos, prorrogação dos efeitos de leis emergenciais e concessão de linhas de crédito com condições especiais para renegociação de débitos. “Não há dúvidas de que entretenimento e turismo estão intimamente ligados. Os dois setores foram extremamente afetados nesta pandemia e continuam sendo, deixando sem renda milhões de empreendedores e pais e mães de família. Com a aprovação das emendas 4 e 13, angariamos milhões de pessoas economicamente afetadas não só na minha Canoa Quebrada, no Ceará, mas também de todo o Brasil”, discursou o deputado ao orientar o voto positivo durante a sessão. 

Na prática 

As empresas que aderirem ao PERSE poderão parcelar os débitos na Secretaria da Receita Federal do Brasil, do Ministério da Fazenda, na Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional e no Banco Central do Brasil, além dos débitos com o FGTS e contribuições sociais, mesmo se forem optantes do Simples Nacional.

Além disso, a medida prorroga, até 31 de dezembro de 2021, os efeitos do Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda e da Lei que trata da dispensa de reembolso dos valores pagos pelo consumidor em face do adiamento e o cancelamento de serviços.

O PERSE também obriga as Instituições Financeiras a disponibilizarem especificamente para as empresas do setor de eventos linhas de crédito específicas para o fomento de atividades, capital de giro e para a aquisição de equipamentos e condições especiais para renegociação de débitos que eventualmente essas empresas tenham junto a essas instituições.

 

Author

Share