Fortaleza Brazil Stone Fair (FBSF) aquece mercado de rochas ornamentais e revestimentos

Author

Categories

Share

Fortaleza Brazil Stone Fair (FBSF) aquece mercado de rochas ornamentais e revestimentos

Foto: Divulgação

Feira acontecerá em novembro em Fortaleza (CE) e reunirá profissionais do Brasil e do mundo das áreas de arquitetura, construção civil, designers, decoração e interessados no assunto

Fortaleza irá sediar no Centro de Eventos, entre os dias 9 e 11 de novembro, a Fortaleza Brazil Stone Fair (FBSF 2022). Em sua 6ª edição, a feira de granitos, quartzitos, mármores, limestones, pedras laminadas, máquinas, equipamentos e insumos para a cadeia produtiva das rochas ornamentais e de revestimentos deve aquecer o setor e ampliar a sinergia com os profissionais de arquitetura, construção civil, designers e decoração, valorizando os produtos naturais.

Fazem parte da programação da FBSF 2022 a celebração dos 100 anos da pedra natural brasileira, palestras com profissionais reconhecidos internacionalmente, o 3º Fórum do IBRO – Instituto Brasileiro das Rochas Ornamentais e uma homenagem às pessoas que contribuíram para a construção da história do setor. Grandes expositores já estão confirmados, entre eles Quatzblue, Vermont e RL Mármores.

A Fortaleza Brazil Stone Fair é um momento oportuno para reuniões de negócios, troca de experiências, abertura de mercado, palestras técnicas e lançamentos de novos materiais e equipamentos. O evento é uma realização do Sindicato das Indústrias de Mármores e Granitos do Estado do Ceará (Simagran), com a parceria do IEL, Sesi, Senai, Fiec, CNI, Sebrae, apoio institucional do Ibro e promoção da Ikone.

*Ceará é o terceiro maior estado brasileiro exportador de rochas ornamentais*

O mercado de rochas ornamentais vem crescendo de forma intensa no Brasil nos últimos anos. Em 1989, as exportações brasileiras giravam em torno de US$50 milhões de dólares, em 2021, aumentou para cerca de US$1,3 bilhões, uma evolução pouco vista em outros setores.

Aproximadamente 64% da produção de rochas ornamentais do Brasil é proveniente do Espírito Santo e de Minas Gerais. A região Nordeste responde por cerca de 26% da produção do país, com o Ceará sendo o terceiro estado do Brasil que mais exporta. Só no primeiro semestre deste ano, as exportações cearenses somaram a cifra de US$ 21,7 milhões.

O destaque nacional e internacional do Ceará se dá por conta da beleza de suas pedras, com números expressivos, principalmente, na produção de rochas superexóticas (granitos), quartzitos e de rochas carbonáticas (limestones). “Temos o granito mais reverenciado nas grandes obras realizadas no Brasil, conhecido mundialmente como Branco Ceará”, frisa Carlos Rubens Alencar, presidente do Sindicato das Indústrias de Mármores e Granitos do Estado do Ceará (Simagran). “Estimamos que o mercado cearense comercializa, por meio da sua capacidade produtiva atualmente instalada, cerca de R$800 milhões anualmente”, complementa.

O principal item das exportações do Ceará são os quartzitos. “Taj Mahal e Perla Venata são as pedras naturais mais conhecidas e admiradas no mundo e ambas são exclusivas do Ceará. Em relação aos limestones, fomos os pioneiros e detemos a supremacia no fornecimento para todo o Brasil e também para o mercado externo”, explica Carlos Rubens.

Outro ponto relevante, é que o Ceará foi um dos primeiros estados a incrementar o uso das máquinas de alta tecnologia e conta, atualmente, com 64 empresas atuando na pesquisa e extração de blocos, aumentando o potencial mineral do Estado. “Temos uma logística competitiva para as exportações, mas ainda estamos distantes do setor industrial do Espírito Santo, que detém 90% das indústrias. A FBSF entra nesse contexto para incrementar o ambiente de negócios e propiciar a atração de novas unidades industriais para o Ceará”, enfatiza o presidente do Sinagran.

Cenário nacional

A pedra natural brasileira é uma das mais desejadas do mundo. Para se ter uma ideia, o Brasil é o principal fornecedor dos Estados Unidos no segmento.

A produção nacional de materiais rochosos naturais, para utilização como rochas ornamentais e de revestimentos, está estimada em aproximadamente 10,1 milhões de toneladas, sendo a maioria da produção destinada às obras civis, sobretudo pisos, revestimentos e ambientações.

Cerca de 12 mil micros e pequenas empresas integram a cadeia produtiva do setor no Brasil, atualmente, respondendo por 150 mil empregos diretos. Somente no primeiro semestre deste ano, o setor obteve cerca de US$ 757 milhões em faturamento.

* Os números divulgados neste material foram repassados pelo Sindicato das Indústrias de Mármores e Granitos do Estado do Ceará (Simagran).

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share