Mãe de Kaio, Kamila Cardoso reforça sua luta por mais políticas públicas na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência

Author

Categories

Share

Mãe de Kaio, Kamila Cardoso reforça sua luta por mais políticas públicas na Semana Nacional da Pessoa com Deficiência
                                        FOTO: DIVULGAÇÃO
A Semana Nacional da Pessoa com Deficiência Intelectual e Múltipla (21 a 27), que ocorre no mês de agosto há 59 anos, encabeçada pela Federação Nacional das Associações de Pais e Amigos dos Excepcionais (Fenapaes), é vista como um momento para reforçar a luta por mais políticas públicas. Mãe de Kaio (15), que nasceu prematuro e teve uma paralisia cerebral após dois meses internado em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e aos três anos sofreu uma aplasia medular, necessitando de um transplante de medula óssea, a candidata ao Senado Federal, Kamila Cardoso (Avante) é referência na luta da causa das pessoas com deficiência e por uma sociedade mais inclusiva.
Instituída pela Lei no 13.585 e integrando o calendário nacional desde 2017, a data tem um papel fundamental de conscientizar sobre as necessidades desse público, promover a inclusão social e combater o preconceito e a discriminação. “As pessoas com deficiência precisam de mais voz e representatividade para terem suas demandas atendidas e a política é o caminho mais coerente para conseguir mudar, efetivamente, esse cenário”, reitera Kamila Cardoso. Dados divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) no ano passado, resultado da Pesquisa Nacional da Saúde (PNS), apontaram que mais de 17 milhões de pessoas têm deficiência.
 A atualização desses dados já começou a ser feita no início deste mês de agosto por recenseadores do referido instituto, que listará apenas as pessoas que têm muita dificuldade ou não conseguem de modo algum fazer uma atividade. Este será o quarto levantamento desse grupo específico, sendo os anteriores realizados nos anos de 1991, 2000 e 2010, após a promulgação da Lei Federal no 7.853/89, que tornou obrigatória as questões sobre deficiência nos censos demográficos. Quanto às primeiras investigações de deficiência na população brasileira, elas datam de 1872, 1890, 1900, 1920 e 1940. Na avaliação da candidata ao Senado Federal pelo Avante, Kamila Cardoso, “esses dados atualizados são de extrema importância para que possamos ter políticas públicas mais assertivas e eficientes. Somente assim conseguiremos diminuir o abismo entre as classes sociais que precisam desse suporte”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share