Museus do Dragão do Mar participam da 14ª Primavera dos Museus, de 21 a 27 de setembro

Author

Categories

Share

 

Museus do Dragão do Mar participam da 14ª Primavera dos Museus, de 21 a 27 de setembro

Museus do Dragão do Mar participam da 14ª Primavera dos Museus, de 21 a 27 de setembro

Museu da Cultura Cearense e Museu de Arte Contemporânea compõem a programação anualmente coordenada pelo Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM -, que neste ano, em edição virtual, reunirá ações museológicas em torno do tema “Mundo Digital: Museus em transformação”.

Anualmente realizada no mês de setembro, sob coordenação do Instituto Brasileiro de Museus – IBRAM, a Primavera dos Museus chega à sua 14ª edição, unindo instituições museológicas do Brasil, durante uma semana, em torno de atividades para todos os públicos. Do dia 21 ao dia 27, o Museu da Cultura Cearense e o Museu de Arte Contemporânea integram a programação, que este ano tem como tema “Mundo Digital: Museus em transformação”. As programações poderão ser acompanhadas nos canais de comunicação do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura ou nas redes sociais dos próprios Museus.

Na Primavera dos Museus 2020, os Museus do Dragão do Mar convidam o público a refletir sobre a dinâmica deste “novo” modo de funcionamento, mobilizando equipe e parceiros, educadores, escolas, pessoas com deficiência, poetas, pesquisadores e artistas para apresentarem e debaterem suas questões a partir da reinvenção nas plataformas virtuais. Parte da programação enfatiza ainda o Dia Nacional de Luta da Pessoa com Deficiência, datado em 21 de setembro, e ações em torno das datas que evocam a visibilidade da comunidade surda: o Dia Mundial da Língua de Sinais, comemorado no último dia 10, o Dia Internacional do Surdo, celebrado no dia 20 de setembro, e o Dia Nacional dos Surdos, em 26 de setembro.

 Abrindo a sua participação na 14ª Primavera dos Museus, o Museu da Cultura Cearense lançou, no último dia 10, em parceria com o Centro de Atenção Psicossocial (CAPS) da Regional IV, o Programa de Extensão Pasárgada: Promoção de Arte, Saúde e Garantia de Direitos e o Programa de Educação Tutorial (PET)do Curso de Psicologia da Universidade Federal do Ceará – UFC, a exposição virtual “Mascaral: variando sentidos e cuidados”, que poderá ser conferida até o dia 10 de outubro de 2020 no site do Dragão do Mar (www.dragaodomar.org.br).Cerca de 30 imagens exploram a metáfora das máscaras e abordam a relação entre vida e arte, fruto do trabalho de cuidado terapêutico mantido virtualmente durante o período de isolamento social. O MCC também realizou, junto a uma escola da rede pública de Fortaleza, na última terça-feira, 15 de setembro, edição virtual do projeto Museu vai à Escola, levando para o ambiente virtual a formação de estudantes na educação patrimonial.

Segundo Márcia Bitu, gerente do Museu da Cultura Cearense, a programação seguirá, ao longo da Primavera dos Museus, buscando um evento plural, diversificado, acessível e rico em fruição e difusão de conhecimentos sobre arte, cultura,patrimônio cultural e acessibilidade.

14ª Primavera dos Museus – Mundo Digital: Museus em transformação

 

A experiência de acesso aos museus, suas ações e a bens culturais digitalizados foi intensificada e acelerada pela pandemia. Com o distanciamento social, as tarefas de preservar, investigar, comunicar, interpretar e expor as coleções de valor histórico, artístico, científico, técnico ou cultural, foram, mais do que nunca, adaptadas para as plataformas digitais. Nesse processo desafiador de transformação digital, os museus tiveram a oportunidade/necessidade de experimentar e produzir novas práticas e lógicas de trabalho. No contexto, os espaços museológicos foram convidados a pensarem em iniciativas desenvolvidas no ambiente da rede mundial de computadores.

Confira a programação completa da semana:

21 de setembro (segunda-feira)

 

LIVE “Arte Contemporânea e Processos de Acessibilidade”

Horário: 16h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso: Gratuito | Acessível em LIBRAS

Classificação etária: Livre

Participantes:
Isabel Portela é Doutora e Mestre em História e Crítica da Arte pela Escola de Belas Artes Universidade Federal do  Rio de Janeiro (EBA/UFRJ);Especialista em História e Crítica da Arte do Brasil pela Pontifícia Universidade Católica/PUC-Rio. Museóloga de formação, atua desde 1992 em museus, desenvolvendo projetos e ações em preservação e conservação, curadoria e acessibilidade. Trabalha no Museu da República – IBRAM, desde 2006, como pesquisadora de acervo museológico e curadora de exposições. Coordenadora e Curadora da Galeria do Lago – espaço de Arte Contemporânea do Museu da República.
Daniel Moraes é graduado em Design na Faculdade de Campinas e mestrando em Pintura na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa (PT). Desde o começo de sua trajetória, Daniel Moraes desenvolveu sua pesquisa através do conflito do seu corpo com as práticas artísticas. O desenho, a pintura e o vídeo-happening são os meios que o artista utiliza para abrir campos de diálogos na sua produção.Desde 2017 o artista vem aprofundando sua pesquisa através questões pessoais relacionadas com o corpo anormal: disforma/disfunção, superação/supressão, preconceito/aceitação.Mais recentemente, idealizou o projeto de oficinas artísticas “O Desenho e o Corpo Não Normativo” que teve sua primeira edição no Centro de Artes Contemporâneas ARQUIPÉLAGO – Ilha de São Miguel, Açores (PT), e que atualmente foi selecionado no edital “Linha de Apoio ao Setor das Artes 2020” da DGARTES do Ministério da Cultura Portuguesa na qual receberá apoio para a implementação em outras instituições de artes no território nacional.

Mediação: Vinícius Scheffer educador do MAC Dragão.

Pessoas com deficiência, os convidados falarão sobre a produção dos seus trabalhos como artistas e curadores

 

Lançamento do Podcast FACA no Museu
Horário: 9h
Local: Canal do projeto FACA no Spotify https://open.spotify.com/show/2Z0JyRZufem8KwHYqx0Z5J?si=-XlKB7WVSWaFt5FlxmTbhg

Acesso: Gratuito

Classificação etária: Livre

Participantes:

Ícaro Souza (mediador cultural e educador para o patrimônio. Coordenador do Núcleo Educativo do MCC);

Elizandro dos Anjos (Graduando em Comunicação Social – Bacharelado em Publicidade e Propaganda pela UFC; Integrante do Grupo TELAS – Laboratório de pesquisas sobre tecnologia, políticas e economia da comunicação; Membro da Liga Experimental de Comunicação da UFC; Artista Plástico com experimentações em ilustração, gravura e desenho; Pesquisador nos campos de Semiótica, Cibercultura e Arte-Educação);

Mateus Django (Graduando em Licenciatura Plena em História pela UECE, Pesquisador na área de Trajetória e Patrimônio Imaterial de Fortaleza, Participante do Grupo Dicts – História e Culturas (UECE) e Participante do Grupo Quilombo Afetivo Formação);

Paulo W Lima (Professor de Filosofia. Arte-educador e produtor cultural. Mestrando em Filosofia pela UFC. Integrante do Coletivo Transpassando e Coletivo Decolonial Brasil);

Mediação: Erica Nogueira (Aquarelista, muralista e arte educadora. Licenciada em Artes Visuais – IFCE);

Uli Batista (Artista em multilinguagens visuais atualmente com foto em artesanias, produtora e comunicadora social pela UFC).

 

 

22 de setembro (terça-feira)

 

Live “Salão de Abril: desafios e realizações”

Horário: 15h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito

Classificação etária: Livre

Participantes:
Amanda Bessa (ex-educadora do MAC-CE);

Lara Lima (graduada em Letras com habilitação português-espanhol – UFC, membro do Projeto Acesso – MCC, integrante do GT de Cultura Acessível – SECULT-CE, testadora de softwares da empresa Dell);

Talita Barbosa (graduada em Letras – UECE, integrante do Projeto Acesso – MCC).

Mediação: Carlos Viana (graduado em Comunicação Social, com bacharelado em Jornalismo – FAC; integrante do Projeto Acesso – MCC; repórter do jornal O POVO; membro do GT de Cultura Acessível – SECULT-CE).

O Salão de Abril é uma das exposições de arte mais conceituadas do País. Em 2016, a equipe do Projeto Acesso do Museu da Cultura Cearense foi responsável pelo projeto de acessibilidade do evento. Neste encontro, profissionais da equipe e ex-educadores do Museu de Arte Contemporânea do Centro Dragão do Mar que atuaram no projeto relatam suas experiências. A programação é realizada em alusão ao Dia Mundial da Pessoa com Deficiência.

 

 

Live “Acessibilidade em Ambientes Virtuais”
Horário: 19h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito

Classificação etária: Livre

Participantes:
Gislana Vale (mulher com deficiência visual, mestre em Políticas Públicas, integrante do GT de Cultura Acessível – SECULT-CE);

Lara Lima (graduada em Letras com habilitação português-espanhol – UFC, membro do Projeto Acesso – MCC, integrante do GT de Cultura Acessível – SECULT-CE, testadora de softwares da empresa Dell);

Thamyle Vieira (mulher cega, Pedagoga, especialista em Gestão escolar e coordenação pedagógica. Analista de Cultura, integrante do grupo de Trabalho de Acessibilidade Cultural da Secretaria da Cultura do Estado do Ceará onde atua desde 2009. Tem experiência como formadora em palestras, oficinas e cursos voltados a inclusão de Pessoas com Deficiência).

Mediação: Talita Barbosa (graduada em Letras – UECE, integrante do Projeto Acesso do MCC).

Em alusão ao Dia Mundial da Pessoa com Deficiência, o Museu convida para uma conversa sobre como os equipamentos culturais promoveram ações acessíveis nos ambientes virtuais durante o período de isolamento social.

 

 

 

23 de setembro (quarta-feira) 

 

BEBÊ DADÁ – Corpo Falante

Horário: 16h

Local: Perfil do MAC Dragão no Instagram (@macdragao)

Ingressos: Gratuito | Acessível em LIBRAS

Classificação etária: Livre

Já pensou como é o sinal de avião em Libras? Por meio das obras de arte, as crianças podem relacionar as concepções imagéticas das figuras e da construção da Libras. Bebê Dadá-corpo falante é um diálogo, um jogo, uma brincadeira com as imagens e com as linguagens. Sabemos que o corpo fala e que a criança aprende brincando.  A partir da obra de Antônio Bandeira (marinheiro, soldado, aviador) aprendemos outras maneiras de nos comunicar.

LIVE “Museu, Memória e Meme: a decolonialidade como tecnologia de transformação cultural”

Realização: MCC / Coletivo Transpassando e Coletivo Decolonial Brasil

Horário: 15h (horário de Brasília)

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito

Classificação etária: Livre

Participantes:

Paulo W Lima (Professor de Filosofia, Arte-educador, Produtor Cultural, Artesão, Ator, Mestrando em Filosofia pela UFC, Agente Educacional pela Secretaria Municipal de Educação, Integrante do Coletivo Decolonial Brasil e do Coletivo Transpassando);

Rodrigo Pedro Casteleira – PC (Graduado em Filosofia, Mestre em ciências sociais, Doutor em educação, professor universitário, Performer com diálogos sobre raça, afeto, corpo e decolonialidade).

Mediação: Ícaro Souza (Coordenador do Núcleo Educativo do Museu da Cultura Cearense,

mediador cultural e educador para o patrimônio; tem experiência com organização e realização de projetos educativos e programações para públicos diversos em museu).

A Monalisa de Da Vinci nunca mais foi a mesma depois que passou pelo Photoshop. O que mudou? Quais os perigos e potências da arte consagrada virando meme nas redes sociais? A live tratará sobre o poder transformador/hackeador do resgate da memória cultural no mundo

virtualizado.

Museu Vai à Escola on-line recebe Escola Estadual de Educação Profissional Paulo VI

Horário: 15h às 16h
Reunião no Google Meet e no Web Whiteboard (AWW), com acesso restrito ao grupo escolar

Ministrantes:

Kauan Pirani (estudante de Artes Visuais – IFCE e Educador do MCC);

Renata Frota (artista visual, estudante de Artes Visuais – IFCE e Educadora do MCC).

O projeto tem o objetivo de proporcionar a estudantes participantes oficinas educativas e de criação artística sobre o conceito de Patrimônio, a partir de abordagem coletiva, lúdica, afetiva e ligada à realidade social atualmente vivenciada. Na realização do projeto em sua versão on-line, a equipe educativa do museu fará uso pedagógico de plataformas interativas diversas para estimular a imaginação e a reflexão dos estudantes.

24 de setembro (quinta-feira)

LIVE “O Impacto da poesia na sociedade pelas comunidades surdas

Horário: 16h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito | Transmissão em LIBRAS (sem tradução para o português)

Classificação etária: Livre

Participantes:

Yanna Bárbara de Souza Porcino – Surda, feminista, artista. Graduando em curso de Letras Libras – UFPE. Professora de Libras – ALPHA. Trabalha como comissão de Slam das Mãos, inclusão em surdos e ouvintes para apresentar a poesia como impacto e batalha em apenas Libras (Língua Brasileira de Sinais no Pernambuco.

Mediação: Cleyton Costa (Professor de LIBRAS e Educador do MCC)

Em alusão ao Setembro Surdo, a convidada falará sobre o impacto da poesia na sociedade e sobre a escassez de informações acessíveis à comunidade surda e da limitação da comunicação das famílias com os surdos.

LIVE “Locomoção de pessoas com deficiência visual em tempos de

Covid-19

Horário: 19h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito

Classificação etária: Livre

Participantes:

Flávio Duarte (pessoa com deficiência visual, psicanalista);

Izabeli Matos (professora de Orientação e Mobilidade da Associação de Cegos do Estado do

Ceará);

Lara Lima (graduada em Letras com habilitação português-espanhol – UFC, membro do Projeto Acesso – MCC, integrante do GT de Cultura Acessível – SECULT-CE, testadora de softwares da empresa Dell);

Mediação: Carlos Viana (graduado em Comunicação Social, com bacharelado em Jornalismo – FAC; integrante do Projeto Acesso – MCC; repórter do jornal O POVO; membro do GT de Cultura Acessível – SECULT-CE).

Diversas medidas vêm sendo adotadas para evitar o contágio pelo Covid-19. No entanto, algumas dessas medidas causam transtornos para pessoas com deficiência visual, como o cuidado para tocar em objetos e a necessidade de manter distanciamento entre pessoas. Nesse sentido, o Projeto Acesso conversa com pessoas que precisam enfrentar esses desafios e com profissionais da área, que relatam suas experiências e dão dicas sobre como superar essas limitações. A programação é realizada em alusão ao Dia Mundial da Pessoa com Deficiência.

25 de setembro (sexta-feira)

LIVE “Como surdo sente vibração e visual com dança para artista”

Horário: 16h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito | Transmissão em LIBRAS (sem tradução para o português)

Classificação etária: Livre

Participantes:

Maycon Marques Calasancio (é surdo, negro e há 10 anos começou a dançar, começando pela dança de salão em 2010. Entrou no curso de Licenciatura em Dança pelo Instituto Federal de Brasília – IFB em 2016, onde se apaixonou pelo ballet e pela dança contemporânea com libras. Além disso, trabalha com a relação entre mediação cultural e Libras, incorporando o uso do classificador como uma forma de linguagem mais acessível aos públicos ouvintes e surdos no Centro Cultural Banco do Brasil de Brasília. Com bastante desenvoltura corporal, integra dança, atuação e o protagonismo surdo às diferentes linguagens artísticas, que já se apresentou no CCBB, no IFB e em outras instâncias culturais do DF)

Mediação: Cleyton Costa (Professor de LIBRAS e Educador do MCC)

O dançarino surdo Maycon Marques falará sobre suas experiências em dança e sobre como é sua relação com a música. A programação é realizada em alusão ao Setembro Surdo.

Live “Vivências Negras: reinvenção das possibilidades em estado de transformação e virtualização da realidade da juventude negra.”

Realização: MCC / Quilombo Afetivo Formação (UECE)

Horário: 19h

Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)

Acesso Gratuito

Classificação etária: 14 anos

Participantes:

Jamile Mesquita (Graduanda em Licenciatura Plena em História – UECE, Professora, Pesquisadora sobre o processo de mestiçagem e negritude no Ceará e Participante do Grupo Quilombo Afetivo Formação);

Swianne Farias (Atriz pelo Curso de Licenciatura em Teatro – UFC, Professora, Pesquisadora na área de formação de professores e Participante do Grupo Quilombo Afetivo Formação);

Silmara Teixeira (Graduanda em Licenciatura Plena em História – UECE, Professora,

Pesquisadora sobre os bailes Black de Fortaleza, Trancista e Participante do Grupo Quilombo Afetivo Formação);

Alden Damasceno (Graduando em Licenciatura Plena em História – UECE, Professor,

Pesquisador sobre a realidade do povo negro no pós-escravização e Participante do Grupo Quilombo Afetivo Formação);

Mateus Django Oliveira (Graduando em Licenciatura Plena em História – UECE, Pesquisador na área de Trajetória e Patrimônio Imaterial de Fortaleza, Participante do Grupo Dicts – História e Culturas – UECE e Participante do Grupo Quilombo Afetivo Formação).

Mediação: Ícaro Souza (Coordenador do Núcleo Educativo do Museu da Cultura Cearense, mediador cultural e educador para o patrimônio; tem experiência com organização e realização de projetos educativos e programações para públicos diversos em museu).

Em meio ao processo contemporâneo de transformação de um plano físico para um plano virtual, e pensando as vivências cotidianas da juventude negra durante o período pandêmico, o Quilombo Afetivo Formação traz suas experiências e vivências nas redes digitais e como elas nos afetam de forma ampla.

26 de setembro (sábado) 

Precisamos conhecer – artista surdo
Horário: 16h

Local: Perfil do MAC Dragão no Instagram (@macdragao)

Acesso: Gratuito | Acessível em LIBRAS

Classificação etária: Livre

Precisamos conhecer é um programa do MAC Dragão com o intuito de divulgar artistas. O artista surdo Odrus, residente de Planaltina (DF) e que tem trabalhos com grafites, será o artista apresentado. Odrus participou do Meeting of Styles em 2016, na Califórnia. Foi convidado para participar de uma exposição na Galeria de Nuremberg, na Alemanha. Foi representante do Brasil na categoria de artes visuais no Festival Internacional Clin d’Oeil (França), de artistas surdos, onde também fez oficinas de grafite para adultos e crianças surdas. A programação é realizada em alusão ao Setembro Surdo.

27 de setembro (domingo)

Exposição “Corpo e Presença”
Realização: MCC / Luiz Santos – Espaço Qualquer Lugar
Horário: 16h
Local:  Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)  
Acesso: Gratuito | Acessível em LIBRAS
Classificação etária: 14 anos

Participantes:
Luiz Santos (Pernambucano de Recife e radicado no Ceará. Retratista fotográfico e artista visual; atua como educador para o olhar e entende que as diversas linguagens criativas integradas proporcionam melhor expressão para a arte na atualidade. Autor de livros, coordenador de projetos culturais, editor e pesquisador. Há mais de 25 anos realiza trabalhos com arte e educação, em parceria com a Saúde Mental, e é ganhador de dois prêmios nacionais por projetos seus nesta área. Dedica-se ao audiovisual e em seus projetos mais recentes está presente o forte interesse por documentários em que predominam diálogos com entrevistados. É ensaísta fotográfico e o trabalho que apresenta neste evento (Corpo e Presença) traduz a sua inquietação com relação à produção artística contemporânea, uma vez que mistura o fazer retratístico com a arte da escuta, assunto que o vem mobilizando há algum tempo);Mediação: Ícaro Souza (Coordenador do Núcleo Educativo do Museu da Cultura Cearense, mediador cultural e educador para o patrimônio; tem experiência com organização e realização de projetos educativos e programações para públicos diversos em museu).

Trabalho fotográfico e de audiovisual do artista Luiz Santos apresentado direto de seu ateliê/estúdio, com demonstração do processo de criação e alguns resultados.

Lançamento do Livro “Saudade do Meu Sertão”
Realização: MCC / Natan Marreiro Neto / Associação dos Artesãos de Arte e Cultura de Canindé (AAACC)
Horário: 19h
Local: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro)  
Acesso: Gratuito | Acessível em LIBRAS
Classificação etária: Livre

Participantes:
Natan Marreiro (Canindé – 1939; poeta de literatura de cordel, artesão e comerciante);
Jota Batista (Canindé – 1961; cantor, compositor e poeta cordelista).
Mediação:
Fábia Guedes Uchoa (graduada em Artes Cênicas, professora de Arte Educação e atriz);
Natan Marreiro Neto (organizador do livro; poeta e artista visual)

Organizado pelo neto do poeta, que também se chama Natan Marreiro, o livro “Saudade do Meu Sertão” reúne 4 capítulos onde se destacam os temas: Sertão, Política, Casa Marreiro e Folhetos de Cordel. Cada um desses capítulos traz ainda um texto de introdução feito por poetas e intelectuais com forte vínculo afetivo ao Natan Marreiro e a cidade de Canindé. São eles: José Soares Cunha (Zé Aparecido), Klévisson Viana, Lauriene Marreiro e Pedro Paulo Paulino.

O evento de lançamento do livro será transmitido ao vivo, direto de Canindé, pelo canal do Youtube do Centro Dragão do Mar, com a presença do autor da obra e convidados. O livro “Saudade do Meu Sertão”, é uma obra singular, que traz uma visão panorâmica da trajetória artística do poeta Natan Marreiro (Canindé – 1939), um dos grandes nomes da cultura popular e folclore da Mesorregião do Norte Cearense. A coletânea traz trabalhos escritos desde a década de 1970. Além de comunicar trabalhos inéditos, o projeto assegura um importante registro da literatura e história canindeense.

Nascido em Canindé no 18 de março de 1939, filho do poeta e folclorista Sr. Raimundo Marreiro e de D. Laura, José Natan Marreiro já foi sapateiro, camelô e é hoje aposentado como funcionário público estadual. Atualmente também exerce o comércio, dando continuidade à tradicional Casa Marreiro, armazém fundado por seu pai e que também se apresenta como um pequeno gabinete de curiosidades do sertão.

O poeta afirma que seus primeiros versos foram escritos ainda na adolescência, encorajado por seu pai, importante poeta e folclorista da região. Dentre os trabalhos de Natan Marreiro, podemos destacar o folheto intitulado “Eu sou o álcool”, que é considerado a sua obra-prima. Já reeditou também outro folheto, intitulado “É triste a quase menina no cabaré da cidade”.

Mais recentemente foram encontrados manuscritos dos folhetos “O Velho e seu aposento” e “É bonito o meu sertão quando chega a invernada”. Além disso, Natan Marreiro tem diversos trabalhos esparsos publicados em jornais e revistas. Em 2013, esteve entre os candidatos a Mestre da Cultura do Estado do Ceará. Em 28 de março de 2015, Natan Marreiro torna-se imortal na Academia Canindeense de Letras – ACL, tendo como patrono Francisco Paiva de Freitas.

Serviço: 14ª Primavera dos Museus no Dragão do Mar
Período: De 21 a 27 de setembro de 2020
Horários diversos
Programação: Canal do Dragão do Mar no YouTube (youtube.com/dragaodomarcentro) e no perfil do MAC Dragão no Instagram (@macdragao)

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share