Projeto prevê monitoramento assistencial em tempo real com uso de inteligência artificial

Author

Categories

Share

 

Projeto prevê monitoramento assistencial em tempo real com uso de inteligência artificial

 

O uso de ferramentas tecnológicas para auxiliar na rotina do cuidado assistencial e embasar a tomada de decisão parece algo ainda distante, mas já está prestes a se tornar realidade no Hospital Unimed, com previsão de início de operação ainda em 2020.

 

O projeto Monitoramento Assistencial e Fluxo do Paciente do Hospital Unimed, foi uma iniciativa da Diretoria de Recursos Próprios (DRP) inspirada em experiências de sucesso de renomadas instituições. Atualmente, é gerenciado pelo Escritório de Projetos em parceria com as áreas de Engenharia Clínica, Tecnologia da Informação e Escritório de Processos e Qualidade da Unimed Fortaleza, na busca por implantar estratégias para agilizar o atendimento do paciente, proporcionando uma assistência mais segura e eficiente.

 

Além disso, o projeto prevê ainda a implantação de um sistema integrado para a facilitação da comunicação e interação entre as unidades de cuidado ao paciente. Inicialmente, o foco do projeto será analisar e propor melhorias aos seguintes fluxos de processos: cirúrgico eletivo, cirúrgico de emergência e clínicos.

 

Para a superintendente da DRP, Dra. Célia Alcântara, o maior motivador para a criação do projeto foi a necessidade de cuidar cada vez melhor das pessoas, ofertando atendimento seguro e de qualidade com o uso racional dos recursos. “Buscar novas opções e investir em um projeto que envolve, não apenas a melhoria dos fluxos, mas também novas tecnologias nos ajudará a cuidar das pessoas como queremos”, declarou Dra. Célia.

 

De acordo com a gerente da área de Monitoramento Assistencial e Fluxo do Paciente, Dra. Daniela Chiesa, será possível disponibilizar uma visão geral do gerenciamento de leitos de forma rápida e intuitiva. “O projeto vai agregar valor para os clientes e Cooperados da Unimed Fortaleza, trazendo mais segurança e agilidade ao processo assistencial. Seja monitorando os fatores e gerenciando os riscos que impactam na assistência, ou fazendo previsões das condições que podem influenciar no fluxo do paciente. Poderemos ampliar a rotatividade de leitos e maximizar a experiência do paciente no Hospital Unimed, reforçando, com cortesia e respeito, o cuidar com excelência das pessoas”, acrescenta.

 

Como funciona na prática

A primeira entrega do projeto acontece em julho deste ano onde já será possível realizar o monitoramento dos sinais vitais do paciente de forma automatizada, diretamente dos monitores multiparamétricos utilizados nas UTIs com os parâmetros do protocolo de sepse implementados nessa faseA ideia é que todos os leitos regulares de UTI do hospital recebam este sistema até o fim de 2020.

 

Tendo como base os atendimentos em UTI realizados em 2019 no Hospital Unimed, a estimativa é que mais de 1500 pacientes sejam impactados por esta tecnologia.

 

Inteligência artificial

No segundo semestre de 2020, será realizada a implementação de Inteligência Artificial. A partir da disponibilização desta tecnologia será possível prever rapidamente sinais de complicações do paciente, como a identificação precoce da sepse, por exemplo, e a implementação de terapias precoces.  “Baseadas nessas evidências, poderemos atuar na melhoria dos resultados e na diminuição da mortalidade. A redução do tempo de diagnóstico é considerada um componente fundamental na redução da mortalidade decorrente da disfunção múltipla de órgãos”, explica Dra. Daniela.

 

De acordo com a líder do projeto, Liliana Rodrigues, é possível a evolução deste sistema para versões mais robustas. “Novos equipamentos como, ventiladores mecânicos e bombas de infusão, também poderão ter seus dados coletados automaticamente e escritos diretamente no prontuário eletrônico do paciente, assim como será possível parametrizar outros protocolos assistenciais, de acordo com a necessidade assistencial”, explica.

 

Conheça os benefícios

 

Em relação às melhorias propostas ao fluxo do paciente (processos)

Redução do tempo de espera por leitos de internação;

Rastreabilidade de desempenho das áreas envolvidas na jornada do paciente:

Visão global (utilizando mapeamento de processos e automação);

Implantação de indicadores para medir a performance de cada área.

Gerenciamento da disponibilização de leitos;

Redução de desperdícios;

Aumento da satisfação do cliente.

 

                      Em relação ao monitoramento assistencial                                                                                                                                                                                                                                                    Automação de coleta de dados do paciente;

Utilização da inteligência artificial (para o diagnóstico precoce de complicações  do paciente);

Ferramenta para auxiliar na previsibilidade no tempo de permanência hospitalar.

 

Iniciativas como essa são exemplos práticos de segurança e agilidade, valores da Unimed Fortaleza e que fazem parte do jeito de cuidar da cooperativa.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share