Sem fundo eleitoral, candidato de Fortaleza recorre a sistema de financiamento coletivo

Author

Categories

Share

Sem fundo eleitoral, candidato de Fortaleza recorre a sistema de financiamento coletivo

Integrante do Partido Novo aposta em doações de pessoas físicas para bancar custos de campanha

A cidade de Fortaleza tem, nas eleições deste ano, 1.360 candidatos disputando as 43 cadeiras da Câmara Municipal. Desses, apenas Rodrigo Nóbrega e mais nove não estão utilizando verbas do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o famoso Fundo Eleitoral. Não por acaso, todos fazem parte do Partido Novo, sigla que não utiliza dinheiro público para financiar suas campanhas.

FOTO: DIVULGAÇÃO

Disputando um cargo eletivo pela segunda vez (a primeira foi em 2018, quando tentou uma vaga de Deputado Federal no Congresso Nacional), Rodrigo já está acostumado a fazer campanha sem recursos públicos. Conhecido em Fortaleza por sua atuação na defesa dos direitos dos motoristas, o advogado especialista em trânsito acredita que, para fazer diferente na Câmara Municipal de Fortaleza, é preciso começar pela entrada. “Hoje em dia tem muita gente falando em nova e velha política. Candidatos se dizendo novidade, mas usando as artimanhas antigas para chegarem ao cargo. Eu acho que, para fazer diferente mesmo, precisamos começar nos desprendendo das fórmulas da velha política. Por isso, nem eu, nem qualquer outro candidato do Partido Novo, utilizamos recursos públicos em nossas campanhas”, pontua.

Para Rodrigo, num país como o Brasil, com tantos problemas sociais, econômicos e estruturais, não é aceitável que os cofres públicos arquem com a campanhas políticas milionárias. Neste ano, quando o país sofre com a pandemia da covid-19 e a crise econômica, R$ 2.034.954.823,96 do orçamento da União foram dedicados a financiar campanhas de candidatos a prefeito e vereador dos 33 partidos, com exceção do  Partido Novo e o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), que comunicaram à Justiça Eleitoral a decisão de abrir mão dos recursos.

Crowdfunding

Com o objetivo viabilizar financeiramente a campanha, Rodrigo Nóbrega pretende arrecadar R$ 30.111,00 com sua vaquinha virtual, como é popularmente conhecido o financiamento coletivo. Em 2018, ele chegou perto desse valor, arrecadando cerca de R$ 27 mil. As doações, que variam entre R$ 10 e R$ 1.064, podem ser feitas através do site www.apoia.org/rnobrega. Todos os valores arrecadados são transferidos para a conta da campanha, que centraliza os recursos do candidato.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share

Artigo anteriorDragão do Mar abre inscrições para apresentação cênico-performática-relacional
Próximo artigoA cidade de Fortaleza tem, nas eleições deste ano, 1.360 candidatos disputando as 43 cadeiras da Câmara Municipal. Desses, apenas Rodrigo Nóbrega e mais nove não estão utilizando verbas do Fundo Especial de Financiamento de Campanha (FEFC), o famoso Fundo Eleitoral. Não por acaso, todos fazem parte do Partido Novo, sigla que não utiliza dinheiro público para financiar suas campanhas. Disputando um cargo eletivo pela segunda vez (a primeira foi em 2018, quando tentou uma vaga de Deputado Federal no Congresso Nacional), Rodrigo já está acostumado a fazer campanha sem recursos públicos. Conhecido em Fortaleza por sua atuação na defesa dos direitos dos motoristas, o advogado especialista em trânsito acredita que, para fazer diferente na Câmara Municipal de Fortaleza, é preciso começar pela entrada. “Hoje em dia tem muita gente falando em nova e velha política. Candidatos se dizendo novidade, mas usando as artimanhas antigas para chegarem ao cargo. Eu acho que, para fazer diferente mesmo, precisamos começar nos desprendendo das fórmulas da velha política. Por isso, nem eu, nem qualquer outro candidato do Partido Novo, utilizamos recursos públicos em nossas campanhas”, pontua. Para Rodrigo, num país como o Brasil, com tantos problemas sociais, econômicos e estruturais, não é aceitável que os cofres públicos arquem com a campanhas políticas milionárias. Neste ano, quando o país sofre com a pandemia da covid-19 e a crise econômica, R$ 2.034.954.823,96 do orçamento da União foram dedicados a financiar campanhas de candidatos a prefeito e vereador dos 33 partidos, com exceção do Partido Novo e o Partido Renovador Trabalhista Brasileiro (PRTB), que comunicaram à Justiça Eleitoral a decisão de abrir mão dos recursos. Crowdfunding Com o objetivo viabilizar financeiramente a campanha, Rodrigo Nóbrega pretende arrecadar R$ 30.111,00 com sua vaquinha virtual, como é popularmente conhecido o financiamento coletivo. Em 2018, ele chegou perto desse valor, arrecadando cerca de R$ 27 mil. As doações, que variam entre R$ 10 e R$ 1.064, podem ser feitas através do site www.apoia.org/rnobrega. Todos os valores arrecadados são transferidos para a conta da campanha, que centraliza os recursos do candidato.