Trombose: Especialista fala sobre os riscos durante a gravidez

Author

Categories

Share

A trombose é caracterizada pela formação de um coágulo sanguíneo em uma ou mais veias localizadas da parte inferior do corpo, geralmente nas pernas. Seus sintomas mais comuns são queimação dor e inchaço nas pernas. Mas o que muitos não sabem é que a gravidez também é um fator de risco para o problema.

Mulheres acima do peso, com predisposição genética ou que já tiveram o problema anteriormente são as mais suscetíveis.

Em alguns casos extremos, pode prejudicar a placenta, gerando riscos ao bebê, além de um quadro de embolia pulmonar, que é quando o coágulo se desprende e acaba parando em uma artéria, impedindo o fluxo de sangue para o pulmão.

Após o nascimento do bebê, a trombose ainda pode ocorrer. Ela tende a ser um pouco mais comum no período de resguardo que na gestação. Isso porque é nessa fase quando ocorrem diversas alterações hormonais drásticas.

De acordo com o médico Angiologista, cirurgião vascular e presidente da Sociedade Brasileira de Angiologia e Cirurgia Vascular do Ceará (SBACV – CE), Dr. Frederico Linhares, “para fazer o diagnóstico da trombose é necessário um acompanhamento médico, onde o profissional realiza um exame clínico, com base nos sintomas que o paciente apresentar. A partir desse primeiro contato, o médico pode solicitar exames como ultrassonografia, venografia, exame de sangue, Eco Doppler, tomografia e ressonância magnética”, explica.

Complicações
O Dr. Frederico também esclarece que a trombose pode evoluir para algumas complicações. Dependendo do segmento de veia prejudicada, ela pode ser mais ou menos grave. “Quando o coágulo obstrui uma pequena veia da perna, causa um transtorno localizado naquela região. Quanto mais próximo do coração ou maior a veia, a probabilidade de levar a complicações mais graves aumenta”.

Prevenção
Os sintomas como inchaço, dor, e calor nas pernas faz que muitas mulheres confundam o quadro com retenção de líquidos, algo muito comum no período de gestação.

“Para tratar a doença, a medicação, prescrita por um médico é uma das alternativas, mas também é possível fazer uso de meias elásticas que estimulam a circulação. Além disso, é importante lembrar que a gravidez não é uma doença, então é de suma importância que a mulher pratique exercícios físicos, mesmo que de forma leve e sempre buscando estimular os membros inferiores”, alerta o Dr. Frederico.

Outra dica é não esquecer da alimentação. “Ter uma alimentação saudável, pobre em gordura e rica em fibras e água ajuda a evitar a trombose”, finaliza.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here

Author

Share